quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

A Espada da Verdade - A Primeira Regra dos Feiticeiros parte II, de Terry Goodkind

Na segunda parte desta obra esperava que continuasse ao mesmo nível, uma vez que é apenas metade do livro e não o segundo volume. E não me desiludi de modo algum, uma vez que este parte acabou por se revelar ainda melhor do que a primeira. 


Neste livro começa-se onde terminou o anterior: Richard e Kahlan a saírem do território do Povo da Lama, com um mar de aventuras à sua espera e imensos perigos à espreita. Assim, lá vão eles, na demanda para encontrar a terceira caixa de Orden até ao primeiro dia de Inverno, de modo a travar Darken Rahl.

Não me vou alongar em detalhes sobre o enredo, uma vez que, para tal, teria de contar demais e isso poderia estragar o prazer da leitura a quem não gosta muito de spoilers. Mas posso dizer que continuei a gostar imenso das personagens, do enredo e da excelente forma como o autor dirigiu os acontecimentos, de modo a proporcionar um final fantástico e cheio emoção e pontas soltas. Ou seja, tem o final perfeito para o primeiro volume de uma saga de Fantasia.

Como referi, as personagens continuam a transmitir carisma e carácter e aparecem novas personagens. Temos mais perspectivas da história através dos olhos de outras personagens, que acabam por trazer ainda mais prazer à leitura. Principalmente porque são personagens que fazem com que o leitor se emocione com a história, principalmente a nível da raiva contra estas ou então com de extrema amizade. Por exemplo, temos a princesa Violeta e a sua mãe, a rainha Milena, que são ambas destiladores de ódio. Mas também temos personagens como Rachel e Scarlet, que me fizeram sorrir bastantes vezes ao longo da narrativa. E depois temos Denna...

Denna é a personagem que mais novidade traz a esta parte da história. Sendo ela uma Mord-sith (faz-me sempre lembrar A Vingança dos Sith), o seu papel é caçar pessoas com capacidades mágicas e treiná-las para se tornarem seus capachos, a mando de altas identidades, em especial do Lorde Rahl, uma vez que as Mord-sith são originárias de D'Hara. Depois de Rahl mandar Denna caçar e treinar Richard, Denna proporciona aos leitores momentos de pura violência, a todos os níveis. Comparando com As Cinquenta Sombras de Grey (que não li, mas já li muito sobre), os capítulos onde Denna é senhora poriam Mr. Grey a um canto. E confesso que essa parte do livro me fez alguma impressão, devido à forma real como o autor escreveu as cenas, onde abunda a violência. Fiquei um bocadinho constrangida e revoltada, porém, para o desfecho que a parte de Denna teve, tudo se justificou, e ela acabou por ser uma das personagens mais marcantes do livro, que mais me comoveu, a dada altura.

Gostei muito do final, como já referi, e como o autor entrelaçou diversos aspectos da história de modo a presentear os seus leitores com um final maravilhoso. É um final, que não sendo mesmo o final da obra, mostra a mestria do autor em estabelecer ligações pequenas e cruciais. Pareceu-me, a dado momento, que estava a ler um dos livros de Scott Lynch. E claro que isso pesou para o meu contentamento com a história e com o autor, uma vez que gosto imenso das histórias de Locke Lamora.

Em suma, gostei de tudo. Há muito mais acção nesta parte do livro, o que é normal tendo em conta o tamanho original deste. A velocidade a que a história avança também é maior e mais dinâmica. Os mistérios e alguns momentos de suspense e até algum terror, também se mantêm. Fica-se a saber mais sobre a cultura dos diferentes povos e também mais sobre a magia. Não podia ter sido melhor e fiquei satisfeita.

Espero que a Porto Editora continue a publicar por cá esta saga, senão será outra a seguir em inglês, pois vou querer saber mais sobre Richard e os seus amigos.

Podem ler a opinião sobre a primeira parte aqui

NOTA (0 a 10): 10

6 comentários:

  1. Gostei muito da opinião.
    :D Apesar de estes livros do Goodkind não me atraírem, é bom sentir que se vai publicando fantasia em Portugal :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,

      muito obrigada =)
      Eu fiquei convencida e vou querer continuar a acompanhar as aventuras do Seeker. A Porto Editora também tem apostado em boas histórias de fantasia, como por exemplo os dois de Catherine Fisher: Incarceron e Sapphique.

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Estão aqui os links para as opiniões =D

      http://oimaginariodoslivros.blogspot.pt/2013/03/sinopse-finn-conseguiu-fugir-de.html

      http://oimaginariodoslivros.blogspot.pt/2012/07/no-corredor-os-olhos-estavam-escuros-e.html

      Eliminar
  2. Ois miga,

    Eu sempre andei de pé atrás com este escritor mas cá está gera amores e odios, nada como lermos por nós :D

    Excelente comentário, mais um alias, apenas sinto a falta de um desenho, mas se calhar não inspira para ai :)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amigo,

      é isso mesmo! Só assim podemos ter noção se gostamos ou não. Por vezes há livros que muitos aplaudem e que acabo por não gostar ou ao contrário. É sempre ter uma ideia própria, para criar a nossa ideia. E nós estamos cá para divulgar =D

      Muito obrigada =) fui ver o filme A Ascenção de Júpiter e fiquei maravilhada com as cores e as imagens e tive de me debruçar sobre o filme =P
      Comecei a fazer um sobre esta história, mas ainda não terminei.

      Bjs e boas leituras !

      Eliminar