sábado, 15 de maio de 2021

A Indomável Miss Bridgerton, de Julia Quinn

Sinopse:

Billie Bridgerton é uma rapariga diferente das outras da sua época. Vivaça, alegre, despreocupada, tudo o que ela mais quer é ajudar na administração da sua casa e ajudar os rendeiros nas sua tarefas, ajudando assim a propriedade da sua família a crescer. Billie não pensa muito no amor nem no casamento e muito menos nos bailes de Londres e na alta sociedade. O que Billie nunca tinha imaginado era que o seu vizinho George fosse tão irritante e petulante. Ou será que isso quer dizer mais do que ela pensa? Será o início de uma grande e bonita paixão? Ou será amizade? 



Opinião:

Lido para o Projeto Somos Todos Duquesas, da Sandra Sousa, do blog Mil estrelas no colo

Uma leitura muito agradável e cheia de momentos amorosos que me agradou muito. Gostei muito da forma como a história progrediu e de como a relação entre Billie e George se foi adensando. Também achei muito interessante o contexto histórico por detrás da história, a guerra pela Independência dos Estados Unidos, apesar de não ser o foco da história. 

Escrito de modo bastante fluído e prático, a autora cria sempre belas histórias românticas, leves e bonitas. Este é mais um exemplo bem sucedido. 

Gostei muito de Billie, por ser uma protagonista diferente: mais alegre, mais divertida e mais despreocupada. Também gostei de George, porque revelou-se um jovem muito bem educado e interessante. Também gostei das outras personagens todas, todas elas interessantes e com características distintas. Também achei muito interessante o facto da história se passar mais no campo do que na cidade, porque transmite outra realidade da época. 

Achei algumas partes bastante divertidas e bem conseguidas. Assim, esta foi uma leitura fluída, engraçada e leve, que transmite tranquilidade e humor. 

Em suma, gostei muito deste livro e recomendo a todos os que gostam de um bonito romance de época. 

NOTA (0 a 10): 8

Heir of Fire, de Sarah J. Maas

Sinopse:

Após os acontecimentos em Coroa da Meia Noite, Celaena vai à procura de respostas para os mistérios que rondam o reino, mas acaba por descobrir algo ainda mais importante: a sua própria história, que tanto tinha feito para esconder até de si mesma. 

Entretanto, as outras personagens enveredam por novas aventuras e mistérios, acabando todas por trabalhar para um objetivo comum: restaurar a magia no reino. 

Mas para isso, ainda há um longo caminho pela frente e muitos são os desafios que elas vão encontrando.



Opinião:

Sem dúvida, uma fantástica experiência literária! Depois de ter gostado dos dois volumes anteriores, mas de não ter ficado completamente apaixonada pela história nem pelas personagens, foi com grande interesse que comecei este volume e foi com grande alegria que descobri nele uma aventura completamente diferente daquela que estava à espera e tornou-se muito, muito agradável e maravilhoso. Gostei tremendamente deste volume, que, a meu ver, é muito melhor do que os anteriores. 

A história segue vários rumos, aparecem novas personagens e o enredo intensifica-se. Surgem novas alianças, as várias políticas dão corpo à história e o passado das personagens torna-se um dos melhores aspetos deste volume, uma vez que expande o universo criado pela autora. 

Gostei muito de conhecer a história da protagonista e de como tal é fundamental para o desenvolver dos acontecimentos. Também gostei muito dos capítulos do Dorian, que continua a ser das minhas personagens favoritas. Também gostei de conhecer mais sobre as questões da magia. 

Este volume é muito mais interessante e com muito mais contexto do universo criado pela autora. Repleto de aventura, muita emoção, intriga e algum romance, a história é excelente, muito bem narrada. Excelente! 

Em suma, gostei imenso deste volume e estou muito interessada em relação aos volumes seguintes! Recomendo totalmente a quem goste de um bom livro de Fantasia! 

NOTA (0 a 10): 9

segunda-feira, 26 de abril de 2021

How the King of Elfhame Learned to Hate Stories, de Holly Black

Sinopse:

Breve livre de contos em que Cardan é a personagem principal. Tem contos passados durante a infância de Cardan, durante os acontecimentos da trilogia The Folk of the Air e também após tais acontecimentos. 

São alguns contos, muito interessantes, e que dão uma visão bastante diferente daquela que se tem em relação a Cardan durante a maior parte da trilogia. 

Mostram ainda alguns contextos diferentes, em relação a Elfhame e ao mundo humano, que são muito relevantes e interessantes.



Opinião:

Mesmo tendo gostado imenso da trilogia, encontrei neste livro um interesse especial. Uma vez que Cardan é das minhas personagens favoritas deste livros, talvez a minha personagem favorita, gostei de ficar a saber mais sobre ele e de confirmar algumas das minhas ideias em relação à sua personalidade. Também gostei muito de ler as histórias passadas após a trilogia, porque permitiram ter ideia do que aconteceu depois do narrado em The Queen of Nothing

A escrita continua ao mesmo nível da trilogia, bem com os vários enredos dos contos. Lê-se muito bem, só gostaria que tivesse mais contos. É até bastante poético, o que também me agradou bastante. 

Assim, é uma forma de ficar a conhecer um pouco mais sobre o mundo criado pela autora e também sobre Cardan. Um aspeto muito, muito relevante, é o facto de ter lindíssimas ilustrações.

Em suma, um livro fantástico e muito bonito, que vai agradar a todos os que leram a trilogia. E a quem não leu, também!

NOTA (0 a 10): 10 

segunda-feira, 19 de abril de 2021

The Queen of Nothing, de Holly Black

Sinopse:

Após o misterioro e sensacional final de The Wicked King, Jude tem novas tarefas a cumprir no mundo dos humanos. No entanto, uma necessidade familiar faz com que ela tenha de voltar a Elfhame para resolver o assunto. 

O que Jude não esperava era encontrar o reino numa autêntica rebelião que só ela tem forma de ajudar a resolver. 

Neste volume, Jude e Cardan terão de enfrentar muitos perigos e momentos de tensão para conseguirem manter o reino e, quem sabe, o seu relacionamento. 


Opinião:

The Wicked King foi um livro que me fez ler logo de seguida este volume, tal não foi a emoção. Assim, comecei a leitura de The Queen of Nothing, com grandes expectativas e muito curiosa. E, para mim, o terceiro volume é sem dúvida o melhor da trilogia! Fiquei completamente fascinada com a forma como a narrativa se desenvolveu, tornando-se muito mais rápida e com momentos mais densos, mesmo a nível bélico e de estratégia. 

Mais uma vez há que destacar o fantástico desempenho das personagens, em especial de Jude e Cardan, mas também houve outras que me surpreenderam bastante, em especial Taryn. Gostei muito da forma como as relações entre as diferentes personagens se desenvolveram. Jude demonstrou ser uma autêntica guerreira, forte e decidida. E também bastante carinhosa, algo que ela por vezes tentava não ser. Finalmente, temos o verdadeiro Cardan, que muito me intrigou e acabou por se mostrar algo diferente daquilo que dava a parecer. Gostei da forma como ele evoluiu e como amadureceu e conseguiu resolver muitas das questões que tinha para resolver ao longo de todos os livros. 

Neste volume há ainda mais ação do que nos anteriores, em especial a nível de batalhas e traições. Gostei bastante disso, porque tornou a narrativa mais complexa. Também gostei muito da forma como todos os acontecimentos foram encaixando de modo a que tudo ficou esclarecido, sem pontas soltas. 

Escrever esta opinião sem dar spoilers é uma tarefa um tanto difícil porque praticamente tudo é spoiler, tal não é a quantidade de acontecimentos relevantes ao longo da história. 

Em suma, o que tenho a referir é que devem ler esta história! Todos os que gostam de uma boa história de fantasia, bem estruturada, com um enredo forte, bem construído e cheio de emoção e ação, e claro, romance! Recomendo! 

NOTA (0 a 10): 10

quinta-feira, 15 de abril de 2021

The Wicked King, de Holly Black

Sinopse: 

Depois dos acontecimentos em The Cruel Prince, Jude tem agora um lugar que preenche os seus desejos de força e poder. No entanto, há que preservar tal poder e não deixar que ninguém lho tire, em especial Cardan. 

Num jogo de intriga e paixão, Jude terá de saber escolher bem os seus aliados e prever as jogadas dos seus inimigos, bem como dos inimigos da coroa. E quando a rainha do mar decide fazer uma grande jogada contra o reino de Elfhame, Jude tem de enfrentar tudo e todos para conseguir controlar o que a rodeia e continuar a ser quem é. 

Mas o que Jude nem sempre controlar é o seu coração e isso acaba por ser o seu grande receio no meio de um reino de intrigas e mentiras. O Reino de Elfhame é um lugar misterioso e belo, e ser uma humana com grande poder não é tarefa fácil.


Opinião:

Grande aventura a de Jude no meio das fadas! Gostei imenso deste volume, mais do que do primeiro, em especial devido à louca e preversa reviravolta final entre Cardan e Jude, que muito me arreliou e enfureceu. O que foi excelente pois significa que a narrativa está tão bem desenvolvida que a surpresa é foi total e muito forte. Excelente intriga e mistério que povoa este volume! 

Apesar de ter achado este volume mais parado em relação ao primeiro, o que vai acontecendo acaba por ser essencial para a compreensão da narrativa e da forma como esta está a ser tecida, criando uma atmosfera densa e misteriosa. Depois de ter lido o livro cheguei à conclusão que as partes mais paradas eram necessárias para a estrutura da narrativa e apreciei esse aspeto também. A autora mostrou com isso uma grande mestria. 

Também as personagens continuam a ser fundamentais como força motriz da história. Apesar de o enredo ser forte e muito bem construído, as personagens, a meu ver, continuam a ser a parte mais maravilhosa da história. Isso prende-se com as suas personalidades e as suas diferentes jogadas em relação a vários acontecimentos narrativos. Jude continua a ser uma narradora forte e vai abrindo cada vez mais o seu coração ao leitor, o que gostei bastante. Cardan continua a ser um mistério absoluto, em especial com os acontecimentos finais do livro, que tiraram qualquer um do sério! Mais uma vez, gostei imenso destas duas personagens! Também gostei bastante das outras personagens, em especial das que fazem parte da Corte das Sombras. A intriga relacionada com a Corte do Mar também deu a conhecer melhor as personagens do mar, o que muito me agradou. 

Tendo em conta a ação, esta é cada vez mais interessante, mesmo nos momentos parados. Gostei muito, também, das descrições, em especial do fundo do mar, porque mostraram um ambiente diferente daquele que está mais presente ao longo da história (Elfhame). 

Em suma, um volume repleto de emoção e romance, com imensas intrigas e muito mistério. Uma história fantástica que vai agradar a todos os que gostam de histórias fantásticas! 

NOTA (0 a 10:) 10

quarta-feira, 14 de abril de 2021

The Cruel Prince, de Holly Black

Sinopse:

Jude e a irmã gémea foram levadas juntamente com a sua irmã fada para o Reino de Elfhame quando eram crianças, devido a algumas questões familares. Há medida que foram crescendo, foram observando tudo em seu redor e aprendendo. Jude, uma rapariga inteligente e bastante confiante, depressa começou a ver que naquele local o que de melhor tinha a fazer para se manter segura era exatamente tornar-se forte, sendo esperta, justa e nobre. Para tal, tinha o sonho de ter um lugar entre os soldados ou na guarda de honra da família real. 

Mas para tal tem de ultrapassar alguns obstáculos, incluindo manter-se distante e a salvo do grupo de fadas que a persegue (e à Taryn, a irmã gémea) durante as aulas. Desse grupo faz parte o Príncipe Cardan, um dos membros da família real do reino, que se apresenta como algúem extremamente presunçoso e convencido, até um tanto cruel. 

O que Jude não estava à espera era de que Cardan pudesse ser alguém mais interessante do que aquilo que poderia parecer e que poderia ser importante para os seus planos secretos.


Opinião:

Este foi um livro em que iniciei a leitura com imensas expectativas devido a toda a hype que está a acompanhar esta história. Pois bem, apesar de ter sentido que poderia ter sido ainda melhor, gostei muito, muito, muito! 

Gostei especialmente das personagens, que a meu ver são uma das grandes mais valias da narrativa. Jude é uma excelente narradora, uma rapariga humana muito forte, que combate as injustiças e tenta vencer num reino que vê os humanos como seres inferiores e ridículos. É também muito inteligente, perspicaz e audaz, enfrentando tudo e todos para atingir os seus objetivos, sejam eles quais forem. Carden é outra excelente personagem e todo o mistério da história anda à sua volta, pois é ele que está no centro da ação. Sendo uma fada, e ainda por cima da família real, Cardan é um autêntico exagerado, maldoso e convencido, que só quer divertir-se e chatear os outros. Uma vez que, ao longo da narrativa vai-se desenvolvendo a dúvida em relação à verdadeira personalidade de Cardan, esse é um dos aspetos que mais me fascinaram no livro, uma vez que ele poderá não ser o que parece ou mesmo ser. As outras personagens também são interessantes e todas elas bastante complexas e bem construídas. 

Outro aspeto muito interessante nesta história é o Reino de Elfhame. A autora criou um reino das fadas bastante credível e bem desenvolvido, com uma história bem contextualizada. Todos os detalhes estão excelentes e gostei muito de conhecer este reino. 

Em relação à intriga, tal é o que mais existe neste livro! Desde o início até ao fim, a intriga é o ingrediente que está em maior quantidade. Muitos mistérios, muitas alianças, muitos interesses, tudo gira à volta do trono de Elfhame e do que tal significa para todas as personagens. Gostei muito da forma como as reviravoltas vão acontecendo e de como tudo está muito bem enquadrado e narrado. 

Jude também permite ao leitor, enquanto narradora, dar a conhecer a realidade de Elfhame da sua maneira, uma maneira justa e equilibrada. Isso também é muito bom para a criação de uma contextualização forte e bem desenvolvida, o que muito me agradou. 

Tudo isto envolto em muita ação, mistério e romance! E uma capa lindíssima e um interior cheio de detalhes muito bonitos.

Apenas tenho a referir que gostaria que o livro fosse maior e que houvesse mais detalhes em relação ao contexto histórico de Elfhame (mais do que o que já está referido ao longo da narrativa). 

Em suma, um primeiro volume de uma trilogia que tem tudo para ser mágica e fascinante! Recomendo a todos os que gostam de uma boa história!

NOTA (0 a 10: 9

sábado, 10 de abril de 2021

The Desolations of Devil's Acre, de Ransom Riggs

Sinopse:

Após os arrepiantes acontecimentos no final do segundo volume, Jacob e Noor encontram-se na casa do avô de Jacob. Confusos e assustados fazem tudo para voltar para perto dos amigos e quando conseguem encontram tudo numa reviravolta. 

E assim, no meio do que parece ser uma guerra civil entre peculiares, Jacob, Miss Peregrine e os amigos vão ter de conseguir decifrar a profecia e tentar salvar o mundo peculiar.

Uma aventura recheada de momentos empolgantes e muita emoção.


Opinião:

Neste volume, a narrativa voltou a virar-se para algumas das personagens dos livros anteriores, em especial do volume Biblioteca de Almas. É como que uma extensão dos acontecimentos narrados nesse volume e isso foi feito com grande mestria. 

O autor mostra-se bastante ousado em criar um ambiente absolutamente terrível, cheio de momentos empolgantes, com uma história com um rumo um tanto diferente do que poderia parecer nos dois volumes anteriores. Conseguiu tornar a história um pouco mais sombria ainda e deu a Jacob um papel que nunca esperei e que muito me arreliou, porque foram momentos de muita emoção. 

Jacob torna-se um absoluto líder dos peculiares no geral. Agora, mais do que narrador e amigo, é também uma peça crucial no puzzle para deter a ameaça ao mundo peculiar e também ao mundo não-peculiar. As decisões que ele teve de tomar são muito complexas e isso fez com que a leitura ainda se tornasse mais viciante. E continua a ser um narrador único e peculiarmente fantástico. Foi um devorar de páginas! 

Gostei muito da forma como todas as personagens têm o seu momento especial, o seu momento de força e relevância. Gostei em especial da forma como Enoch se revelou algo mais do que aquilo que parecia ser nos outros volumes (se bem que o seu desenvolvimento a nível da complexidade começou bastante em A Map of Days) e de como deixou de lado a sua maneira de ser sarcástica e até desconfortável para com alguns dos outros membros do grupo, mostrando muita coragem, bravura e amizade. Também Hugh mostrou muita coragem, bem como outros membros do grupo. Há ainda bastantes personagens novas que também se revelam muito importantes para a história. 

Mais momentos emocionantes, com muita ação, suspense, mistério, um toque de romance e amizade, são alguns dos ingredientes que fazem parte desta história. Também houve momentos de guerra, que tornaram a história ainda mais empolgante. E momentos de extrema doçura. 

Em suma, uma história muito bem escrita, com um narrador maravilhoso que dá tudo de si à história e que ajuda a torná-la numa obra prima. Sem dúvida, uma das melhores sagas de Fantasia! Recomendo totalmente.

NOTA (0 a 10): 10