quinta-feira, 26 de julho de 2018

Príncipe das Trevas, de Mark Lawrence

Sinopse:

No norte, chegam rumores. 
Os mortos caminham novamente entre nós.
Será verdade?

A Rainha Vermelha está velha. Ainda assim, controla todo o poder no seu vasto império. Jalan Kendeth, o seu neto, não tem tais preocupações. A bebida, as mulheres e uma vida longe de todas as responsabilidades mantêm-no ocupado.

Por isso fica surpreso quando é chamado a ouvir estas histórias da boca de escravos e prisioneiros. Porque quereria a Rainha Vermelha envolvê-lo? Quando Snorri, um guerreiro nórdico, conta uma história de cadáveres devolvidos à vida e do Rei Morto, Jalan só pensa nas várias formas de o utilizar para ganhar dinheiro. São fantasias, o que conta. Mitos. Histórias de encantar. 

E é por isso que Jalan fica tão frustrado quando a magia o liga a Snorri. Agora vai ter de ir ao norte desfazer o feitiço. O que será que os espera? (in Goodreads)


Opinião:

Depois de ter lido no ano passado a trilogia do Príncipe dos Espinhos, só podia estar curiosa com esta nova história do autor.

Num tom mais suave quanto à personalidade e atitudes da personagem principal, e também narrador da história, este livro decorre num período que coincide com o primeiro livro, Príncipe dos Espinhos. É até muito interessante ver como aparecem personagens dessa história, em momentos narrados no livro da outra trilogia, e que aparecem aqui. Muito interessante e inteligente! Fiquei muito agradada. 

Aqui temos Jalan, o herói (mais ou menos, vamos lá), neto da Rainha Vermelha, que é quem governa o Império Arruinado. Jalan é um jovem vivaz e bem parecido, cujo maior objetivo é seduzir raparigas e divertir-se. Mas quando algo de estranho acontece e fica preso magicamente a um pagão nórdico gigante, Snorri, Jalan vê-se numa missão contra os seres criados pelo Rei Morto e pela sua necromante. 

Jalan é muito interessante. Não tem um lado sombrio como Jorg, nem nada que se pareça. É um bon vivant, por assim dizer, que se vê metido num sarilho bastante grande e do qual tem de se "safar" a todo o custo. É um excelente narrador, muito irónico e divertido, bem como bastante crítico em relação ao que o rodeia, o que permite ao leitor ter uma visão bastante diversa e interessante do Império e de outras personagens com quem ele se cruza. E depois temos 

Snorri, o nórdico que foi feito escravo pelo Império e que apareceu na sala do trono com a história de que os mortos-vivos apareceram na sua vila e levaram todos, mantando alguns, é uma personagem fantástica. Na sua missão para recuperar a sua esposa e filhos, Snorri vê-se ligado a Jalan por um estranho feitiço de uma feiticeira que nem todos conseguem ver. Snorri também é muito interessante e bastante integro. 

A história é muito boa, cheia de ação e de momentos muito arrepiantes, algo que já tinha acontecido na anterior trilogia. Não existem momentos parados, pois o desenrolar dos acontecimentos é muito fluído, rápido e cheio de adrenalina. Gostei muito! 

Em termos de descrições, também está excelente. Tem aquelas que são necessárias para visualizar o ambiente e tudo o que rodeia as personagens, de uma maneira simples, bela e prática. 

É uma aventura repleta de perigos, momentos bastante sombrios e obscuros, mas que também tem momentos muito belos e divertidos. Mais uma vez, Mark Lawrence consegue criar uma história forte, complexa e muito bem contextualizada, cheia de coerência. 

Em suma, recomendo a todos aqueles que gostam de uma bom livro de Fantasia e que gostam de aventuras cheias de garra! Um excelente livro e espero que o segundo seja tão bom como este ou até melhor. 

NOTA (0 a 10): 10

2 comentários:

  1. Olá Lamora :)
    Também gostei bastante deste livro. Bem melhor que a Trilogia dos Espinhos, a meu ver.
    Beijinho e boas leituras.

    ResponderEliminar
  2. Oie,

    Nunca li nada do escritor mas à muito que tenho curiosidade, mas há sempre tanta coisa para ler, ainda assim fica mais uma vez registada a recomendação ;)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar