quarta-feira, 11 de setembro de 2013

"O Último Reino", de Bernard Cornwell

Somos todos solitários e todos procuramos uma mão a que nos possamos agarrar na escuridão. Não é a harpa que importa, mas sim a mão que tange as suas cordas. pág. 392


Este é o segundo livro que tenho a oportunidade de ler escrito por Bernard Cornwell. O primeiro que li, já lá vão alguns anos, foi "O Forte", que se passa nos Estados Unidos, na guerra contra os Ingleses. "O Último Reino" passa-se na Inglaterra, entre 866 e 877 d.C., sendo o plano principal a guerra contra as invasões dinamarquesas, que assolaram as costas inglesas por essa altura.

Em plena Idade Média, Uthred mostra-nos, através da sua história, como era a Inglaterra (que ainda não o era, estando dividido em Nortumbria, Mércia, Ânglia Oriental, Wessex) e como é que se vivia com as costas constantemente a serem invadidas pelos dinamarqueses, povo que não queria apenas aterrorizar os ingleses, antes conquistá-los e povoar o território inglês com os seus filhos, uma vez que as terras dinamarquesas não eram de grande interesse (nível económico, agrícola, clima).

Uthred conta-nos, na primeira pessoa do singular, desde os 10 anos até aos 20, como foi a sua vida e como ela foi enredada com o destino de todo o reino inglês. Uthred vê-se afastado do seu reino, a Nortumbria, longe da sua fortaleza e da sua família. Feito refém pelos dinamarqueses após uma sangrenta batalha na qual participou enquanto filho de um dos chefes ingleses, Uthred afeiçoa-se ao chefe que o raptou, Ragnar, e este ao jovem. Assim, é junto dos dinamarqueses que cresce de criança para jovem, é junto deles que começa a aprender a lutar, a amar, a viver. No entanto, o seu destino não seria tornar-se num dinamarquês e logo se vê apartado destes, vendo-se com Alfredo, o Grande, rei de Wessex. Ao longo do seu crescimento, Uthred vê o reino inglês cair perante os dinamarqueses, restando só Wessex, o último reino e o único que pode fazer frente à total ocupação dinamarquesa. No meio de toda esta trama, Uthred não esquece o seu território, usurpado pelo seu tio, de quem jura vingar-se.

Este é o primeiro livro que nos mostra a "reconquista" do reino inglês, contado por Uthred. Foi uma leitura bastante agradável. Cornwell é um grande romancista histórico, mostrando-nos que não escreve sem conhecer os factos verdadeiros. Cornwell estuda documentos para então escrever as suas obras literárias. É de facto um grande escritor do género, como já tinha observado em "O Forte" e constatado aqui.
As descrições são muito vividas, cheias de vida, ajudando-nos a imaginar os locais e as pessoas, para melhor compreendermos a história. As personagens são quase todas reais, o que dá um grande relevo à obra, uma vez que lhe dá um cunho verídico muito grande. Por isso mesmo, Cornwell não se poderia ter afastado muito da História, tendo por isso e também feito um grande trabalho com esta obra.
As personagens são ainda bastante ricas e complexas, principalmente Uthred, sendo ele a personagem principal e sendo ele o narrador, é-nos possível compreender e acompanhar os seus pensamentos e ações, sendo por isso possível seguir a sua história de perto e compreender os seus comportamentos e atitudes, bem como os das outras personagens, através dos seus olhos e pena.
As batalhas estão muito bem descritas, sendo bastante vividas, tal como o ambiente, como referi acima. Também o amadurecimento dos factos e das personagens é muito interessante e rico; a história encerra um período de 10 anos, por isso é possível observar o amadurecimento das personagens e da História, observando factos históricos conhecidos que deste modo tornam-se ainda mais interessantes, uma vez que fazem parte do enredo e não estão apenas nos documentos históricos para fazer trabalhos de pesquisa, algo que também me agrada fazer.
Tendo feito um trabalho para a Faculdade sobre a Idade Média (período que tanto me agrada) e estando nele presente Alfredo, o Grande, foi com grande contentamento que me embrenhei nesta leitura, uma vez que foi uma forma de ficar a saber mais sobre esta personalidade que tratei no referido trabalho.

Uma vez que sou fã de romance fantástico é também muito interessante ler romance histórico, verídico, e constatar que muito do que acontece no fantástico aconteceu na realidade, ou de modo muito parecido. É óbvio que muitos factos para o fantástico têm como base acontecimentos reais e é no romance histórico que tal é possível observar. Este é um dos factores pelos quais me agrada tanto este género literário, e este livro é muito bom no seu género.
Espero ler toda a Crónica Saxónica, uma vez que este me agradou bastante. A leitura é fácil, rica, inteligente e emocionante.

Recomendo a todos os que gostam deste autor e a todos os que se interessam por saber mais sobre o reino inglês na Idade Média, que é tão interessante e rico. Muito bom!!! 

NOTA (0 a 10): 8,5

8 comentários:

  1. Olá Maria,

    gostei de ler o teu comentário, já li o livro, alias já li até ao 3 e depois parei devido a na altura andar a ler variadíssimas sagas / trilogia tipo Hobb, Martin, Jordan, etc e claro temos que ir deixando algumas para trás.

    Se gostaste deste livro então os seguintes ainda te vão deixar mais cativadas e Alfredo é mesmo um grande personagem, terás o prazer de descobrir.

    Já li vários livros do escritor a este é sem duvida e até ao momento a minha saga preferida, mas penso que o escritor introduz sempre muitos combates, sei que é ação, são bem descritos, mas começas a ver sempre o mesmo padrão nos seus livros, rigor histórico incluído claro.

    A ver se retomo a leitura desta saga que nem sei em quantos já vai, penso que o 4ª volume era algo como a Canção da Espada :)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      estou com ideias de continuar esta saga, se bem que não para já.
      Fico contente por ler o que dizes, pois é algo que me dá ainda mais alento para ler os seguintes.

      Gostava muito de ler também era a trilogia do Rei Artur. Esses também estão na wishlist. É bom que aconteça, pois torna a escrita coerente. Ele descreve as batalhas e combates em grande detalhe.

      No Goodreads tem 7 livros para a saga, não sei se há todos traduzidos. Sim, também acho que tem esse nome, que é tão belo que tinha de me lembrar =D

      Bjs e boas leituras!

      Eliminar
    2. Ois Maria Rita,

      Há uma questão que levanto e que tem a ver com quem publica atualmente os livros do escritor, a SDE, e não sei se irão publicar tudo novamente a não ser que esta saga em especifico esteja a ser publicada por outra Editora :)

      Mas vale bem a pena sim ;)

      Eliminar
    3. Olá Fiacha,

      pois, porque eles andam a publicar todos os do autor. Eu na biblioteca encontrei o segundo e o terceiro, mas mais do que esses não.

      =)

      Eliminar
  2. Eu costumo adorar os livros deste autor. Ainda não li este, mas só de saber que o livro é do Bernard CornWell já me anima e deixei ele anotado aqui.

    Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,

      este é o segundo livro que leio deste autor e tenho mais um para ler. Tenho gostado muito, pois têm uma excelente qualidade. Muito bem.

      Obrigada, também vou seguir o seu.

      Abraços

      Eliminar
  3. Olá Maria,

    Vim aqui para te avisar que há um selo para vc no meu blog, espero que goste!!!

    Abraços e boas leituras!!! :D
    http://amandatrindadepalavrasaovento.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Amanda,

      obrigada! =)

      Abraços e boas leituras!

      Eliminar