sábado, 9 de junho de 2018

Um Estanho Numa Terra Estranha Vol. I, de Robert A. Heinlein

Sinopse:

Há vinte e cinco anos, a primeira missão a Marte terminou em tragédia e todos os tripulantes morreram. Mas, na verdade, houve um sobrevivente. 

Nascido na fatídica nave espacial e salvo pelos Marcianos que o criaram e lhe ofereceram uma nova vida, Valentine Michael Smith nunca viu um ser humano até ao dia em que é descoberto por uma segunda expedição a Marte. 

Ao regressar à Terra, vê-se pela primeira vez entre o seu povo. Começa então um percurso de aprendizagem dos códigos sociais e preconceitos da natureza humana, totalmente alienígenas para a usa mente. Nesse processo de descoberta e integração, Valentine irá partilhar com a Humanidade os rituais sagrados que aprendeu em Marte e retribuir com as suas próprias crenças sobre o amor e o sentido da vida. Mas conseguirá alguma vez deixar de se sentir um estranho numa terra estranha? (in Saída de Emergência


Opinião:

Este livro, escrito há tantos anos, prova o quanto o poder da imaginação pode ter a capacidade de percorrer gerações e chegar até nós com uma mensagem profunda, criativa e dinâmica. Esta é a primeira parte. 

É uma história de ficção cientifica bastante boa, onde a ação não é o seu principal foco, mas onde as questões éticas, morais, emocionais e sociais estão bem presentes, sendo o grande motor da narrativa, que nos traz muitas questões interessantes sobre a evolução, a ciência, o Cosmos no seu todo e a importância dos Seres Vivos. 

Personagens complexas, únicas e muito apelativas, todas elas são muito boas, cada qual à sua maneira. Gostei especialmente de Valentine, o individuo que veio de Marte. 

Gostei das descrições, da escrita e da história em si, bem como das personagens. Senti um pouco a falta de mais ação, penso que poderia ter contribuído para um maior sentimento de emoção durante a leitura. Porém, o grande poder deste livro é abordar questões mais existenciais, morais e éticas quanto aos usos científicos e da descoberta do Universo em relação com a sociedade através de uma narrativa muito bem contextualizada e de personagens marcantes. 

A escrita é fluída e lê-se a uma grande velocidade, uma vez que os diálogos também preenchem boa parte da narrativa. Esses diálogos são bastante interessantes. 

Sem dúvida, é de enaltecer a capacidade imaginativa do autor, cujo livro foi publicado na década de 1960, e que conta com muitos mais livros deste género na sua obra literária. Vou querer explorar mais das suas histórias! 

Assim, recomendo a todos os que gostam de Ficção Cientifica e que apreciam uma boa história. 

NOTA (0 a 10):

5 comentários:

  1. É um dos meus autores favoritos de SciFy, já li quase se não todos os livros dele editados em Português e todos eles do que me lembro abordam questões éticas, morais e emocionais.
    Excelente crítica, deu-me vontade de reler😍

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, gostei bastante do livro. É diferente e único =)

      Eliminar
  2. Oie,

    Um livro que gostei muito e que sem duvida tem muita qualidade, falta saber como tudo acaba :)

    Parabéns pelo excelente comentário :)

    bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      Agora é ler a segunda parte =P

      Muito obrigada!

      Bjs a boas leituras

      Eliminar
  3. Em 1992, quando fiz 12 anos, os meus pais ofereceram-me um microscópio e eu aproveitei essa prenda para ler a edição desta obra publicada pela Europa-América. (Era uma letra mesmo pequena.) Ainda hoje continua a ser o meu favorito do autor (dos que li) e um dos livros dos quais guardo melhor memória.
    Felizmente tive a sorte de ler uma edição completa. Esta nova edição pode até ser mais agradável em termos de leitura, mas estas quebras para mim são sempre uma má opção.

    ResponderEliminar