terça-feira, 12 de julho de 2016

Fool's Assassin, de Robin Hobb

Sinopse:

Vários anos depois dos acontecimentos passados na trilogia (por cá com cinco livros) O Regresso do Assassino ou em inglês Tawny Man, Robin Hobb traz-nos uma nova aventura destas personagens tão amadas: FitzCavalaria e o Bobo.

Depois de ter casado com Molly e de ter ido viver para Wittywoods, Fitz está satisfeito com o que tem: uma família, uma casa, paz, sossego e amor. Até que, durante a Festa de Inverno, aparecem uns estranhos na sua casa, bem como uma mensageira que desaparece misteriosamente, deixando um rasto de sangue. Dos estranhos também nada descobre, mas a dúvida fica lá e durante muitos anos nada de extraordinário acontece, a não ser o nascimento de Abelha, filha de Fitz e Molly, que todos pensavam ser impossível. Muito pequena, pálida e loura, Abelha cedo demonstra ser um bebé diferente: silenciosa, apática e estranha. Os criados começam a ter medo dela, bem como pena e à medida que ela vai crescendo, mais devagar do que normalmente para uma criança, todo o pessoal da casa a ostraciza e teme, excepto os pais e irmãos, que a amam imenso, mas pensam ser também diferente ou com algum problema.

Mas Abelha é muito mais do que aquilo que todos pensam ser e quando aparece uma nova mensageira, muitos anos mais tarde, com uma mensagem do Bobo, Fitz tem que decidir entre proteger a sua filha e educá-la e ajudar o seu amigo de sempre.



Opinião:

É com enorme gosto e prazer que leio os livros desta autora. Mergulhar neste mundo criado por Robin Hobb é como voltar atrás no tempo e percorrer os caminhos de Fitz desde pequeno. É relembrar a sua história e as suas aventuras, bem como a história dos Seis Ducados. Não é segredo nenhum que estes são dos meus livros favoritos e o Fitz é das minhas personagens favoritas, se não a favorita. Portanto, não podia deixar de gostar deste livro, que inicia uma nova trilogia.

Este é o outro livro mágico e maravilhoso em que Fitz volta a ser o narrador da sua história de vida. Mais velho, mas nada diferente daquilo a que nos foi habituando, Fitz regressa em grande, com um dilema bem diferente e difícil para resolver. Não posso dizer que as personagens estão mais maduras, porque depois de dez livros, todas as personagens já amadureceram bastante e Fitz continua o mesmo "rapaz" de sempre, um tanto confuso, mas fantástico e que só dá vontade de abraçar. Agora é um homem feito, de cinquenta e tal anos, mas continua com a sua personalidade única.

Quanto às outras personagens, todas continuam no seu melhor: Molly está como sempre esteve, calma e doce; Breu continua o mesmo intriguista e sabichão; Urtiga continua inteligente e cheia de astúcia, apenas para mencionar algumas das personagens. E depois temos as novas personagens, em especial Abelha. Gostei imenso dela. Diferente, realmente, mas com uma história grande, Abelha é única, especial e tem alguns capítulos só seus, em que é a narradora e onde mostra a sua maneira de ser e estar. 

O enredo é muito interessante. A história desenrola-se calmamente, pelo menos até dado momento. Com um principio cheio de ação, um meio mais calmo e um desenlace cheio de surpresas e emoções, esta nova aventura dá-nos uma perspetiva mais quotidiana da vida do Fitz e de Abelha, principalmente. No entanto, existem momentos de grande emoção, como que uma espiral de acontecimentos que dão sentido a todas as partes mais calmas da história. Gostei da forma como a autora foi conduzindo o enredo: ao seu ritmo, sem pressas, com muita delicadeza e harmonia, terminando num momento alto e de grande sentimento. Penso que, pelo facto dos livros anteriores publicados cá em Portugal terem sido divididos, nunca me tinha apercebido totalmente da organização da autora, que é muito semelhante em todos os livros que tenho lido dela.

A escrita continua a ser maravilhosa. Hobb conta uma história como uma autêntica contadora de histórias de antigamente, quando a oralidade era mais relevante do que a escrita, nos começos de tudo. Pode parecer estranho começar o parágrafo a escrever sobre escrita e ir para a oralidade e para um período em que esta não tinha tanto relevo ou não era tão reconhecida, mas a analogia é verdadeira. Estar a ler o livro é como se estivesse a ouvir a autora a contar a história, tal não é a proximidade, beleza e envolvimento criado pela autora.

As descrições continuam fabulosas, os pormenores são riquíssimos e muito bem colocados. Tudo está colocado no seu devido lugar. Não existem pontas soltas, nem nada do género. Existe sim um belo mistério para resolver.

Só posso recomendar a leitura deste livro. Para quem ainda não leu nada da autora, recomendo que comece com a saga Aprendiz de Assassino, publicada cá pela Saída de Emergência. Para quem já leu esses todos, acho que devia continuar a ler esta autora. Gostava muito que a editora continuasse a publicar por cá.

Citações (as traduções são feitas por mim):

Molly, just to have you sleep beside me every night is the fulfilment of my dream of years. (Molly, ter-te a dormir comigo todas as noites é a realização do meu maior sonho.)

You'll do well, if you don't mire in self-pity. Self-pity only gets you more of the same. Don't waste time on it. (Vais conseguir, se não passares o tempo a ter pena de ti mesmo. Isso só traz mais do mesmo.)

A secret is only yours so long as you don't share it. Tell it to one person, and it's a secret no more. (Um segredo só é teu enquanto não o partilhares. Conta-o a uma só pessoa e deixa de ser segredo.)

NOTA (0 a 10): 10

6 comentários:

  1. Olá!
    Ainda não li este novo livro mas quero muito!!! Adoro a escrita de Robin Hobb =)
    Beijinhos

    O Prazer das Coisas | Facebook | Youtube | Goodreads

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      Espero que o leias em breve e que gostes. É excelente! A autora é fantástica, a escrita continua soberba =)

      Beijinhos e boas leituras

      Eliminar
  2. Ois,

    Ai o que me custa ler este comentário e recordar todos estes amigos que me proporcionaram horas de puro deleite, adora esta escritora e estará sempre no nosso coração, mas é mais uma que deixou de ser publicada por cá o que realmente é uma pena, mas quem sabe um dia se mude de ideias, seja como for vou tentar ler em versão brasileira, mas isto se vierem a publicar por lá.

    Ai abelha deve ser uma personagem e peras e olhem só quem são os pais :D

    Bjs e boas leituras deixaste-me com tantas saudades desta escritora que nem imaginas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha!

      Acredito e espero que seja editado pelo menos no Brasil, para poder ser lido por mais pessoas. Ou então pode ser que volte a ser editado por cá, quem sabe =)

      A escrita da Hobb é uma delícia e merece ser publicada em todo o lado. São personagens fantásticas, as novas, e as outras mantém-se no seu melhor =)

      Bjs e boas leituras, oh, mas pode ser que ainda leias estes novos livros =)

      Eliminar