terça-feira, 20 de agosto de 2013

"Em Nome da Memória", de Ann Brashares

Testemunhei a beleza em inúmeras coisas. Apaixonei-me, e ela é quem subsiste. Matei-a uma vez e morri por ela muitas outras e ainda assim nada tenho que o demonstre. Procuro-a sempre; recordo-me sempre dela. A minha esperança é que, um dia, ela se recorde de mim... pág. 10

Nota: não há a sinopse pois faço, na presente opinião, a minha própria sinopse. As ilustrações são sobre episódios da história, nomeadamente em 1918.

Aqui está um livro pelo qual eu não estava à espera. Não estava à espera de o ler, nem estava com grandes expectativas, uma vez que o descobri através de uma lista aqui do Goodreads, sobre romances sobre viagens no tempo. O livro não é sobre viagens no tempo, mas ainda bem que está na lista, pois se não estivesse eu não o tinha encontrado e provavelmente não o teria lido.

Este é um romance que pode ser lido de duas formas: através da imaginação e fantasia ou através da ideia de que a alma é a mesma, voltando a reencarnar ao longo dos tempos, em corpos diferentes, e em locais diferentes. Se uma pessoa que acredite na reencarnação ler este livro, vai ter uma leitura diferente do que uma que não acredite. Não tenho uma ideia muito definida sobre este assunto; não consigo dizer se acho que assim acontece ou não. Mas compreendo e por isso não levei o livro para o reino da fantasia. Este livro não é um romance fantástico, nem com personagens com poderes sobrenaturais. 

No verso da capa está uma referência a alguns casais intemporais, como é o caso de Cathy e Heathcliff (O Monte dos Vendavais); também refere o Edward e a Bella, de Crepúsculo e menciona que fãs desta saga poderão gostar deste livro. Não querendo ofender os fãs da saga (eu li e vi quase todos os filmes), parece-me que é um insulto a este livro ser comparado à saga do Crepúsculo. Não tem nada a ver e tal nota poderia ter feito com que eu não apostasse na sua leitura. Ainda bem que ignorei tal nota, pois teria perdido uma bela e grandiosa história de amor.

Porque é o que nos conta a história deste livro: uma bela e grandiosa história de amor entre duas almas que se vão encontrando ao longo dos tempos, mas de uma forma descoordenada. Daniel nasceu com uma espécie de dom: ele tem a Memória, conseguindo lembrar-se de todas as suas vidas. Na sua primeira vida, quando chegou ao momento de morrer, ele morreu e voltou, algum tempo depois, sempre a recordar a vida anterior e todo o processo da passagem da morte à vida. E neste ciclo, Daniel sempre se foi recordando e recordando. Tem também a capacidade de conhecer as almas das pessoas: quem foram em vidas anteriores. Daniel nasceu (a sua primeira vida) em Antioquia, em 520 (aproximadamente) d.C. Nessa vida foi soldado, juntamente com o seu irmão mais velho, Joaquim. E foi nessa vida que, no ímpeto da juventude e fanatismo pela guerra, pegou fogo a uma aldeia, juntamente com o seu irmão e mais alguns camaradas. Enquanto fazia tal tarefa, deu-se conta que aquela aldeia não era inimiga e foi aí que, de uma das casas por ele incendiadas, saiu uma rapariga, que ele tentou salvar, mas que não conseguiu, acabando ela por voltar para a casa, para junto do choro de um bebé. Daniel nunca mais ficou descansado e relembrou-se sempre de tal acontecimento. Em todas as suas novas vidas, a primeira memória que tinha era a da rapariga a sair da casa e a voltar. Decidiu então procurá-la para lhe pedir perdão e assim expiar a sua culpa. Em todas as vidas, a sua missão era encontrá-la, e tal aconteceu muitas vezes, mas nem sempre o conseguiu fazer.

Certa vida, em Pérgamo (773) (zona na atual Turquia), Daniel (que sempre pedia para ser chamado assim pelos pais) reconheceu no seu irmão mais velho o seu irmão Joaquim. E foi nessa vida que ele teve mais um momento decisivo para o seu futuro e para o da rapariga. A rapariga, agora Sophia, era esposa do seu irmão mais velho nessa vida. Era maltratada e agredida. O irmão mais velho levou a família à ruína. Daniel, não podendo vê-lo a maltratar Sophia e, certa vez, agrediu o seu irmão. Para conter a raiva dele, Daniel fugiu com Sophia para o deserto e deixou-a numa aldeia numa escarpa, na Capadócia, junto de uma mulher que ele conhecia, e que tinha sido sua mãe noutra vida anterior. Durante a viagem, Daniel reconheceu o seu amor por Sophia e ela começou a apaixonar-se por ele, não havendo nada entre ambos, para não traírem o outro. No entanto, Daniel prometeu a Sophia que um dia a iria buscar e ficar com ela. Tal aconteceu, mas foi noutra vida de Daniel, que fora morto pelo irmão, depois de ter deixado Sophia e regressada para a família. Daniel voltou a ir ter com Sophia, mas era uma criança e ela não o reconheceu nem ele disse nada para não a perturbar. Quando ela mais velho, voltou, mas ela tinha morrido. Ele voltou a jurar encontrá-la noutra vida e assim foi vivendo ao longo dos tempos.



Lucy, já na atualidade, é uma jovem americana que frequenta o liceu e está apaixonada secretamente por um rapaz, Daniel. Ela não sabe quem é ele de verdade, mas ele sabe que ela é Sophia, tendo medo de a espantar com a sua história.

O que eles vão viver é uma verdadeira história de amor, sacrifício, alegria, angústia e perseverança, em que tudo fazem para se voltarem a juntar. O que para além de tudo ainda existe é Joaquim, que também tem os seus poderes (e a Memória), podendo apoderar-se de corpos, matando pessoas e reencarnado nos corpos. Daniel tem também como seu aliado Ben, um rapaz que conheceu em navio, em 899, e que tem uma Memória muito maior do que a de Daniel, sendo ele muito mais velho e antigo do que Daniel. Daniel acha-o deveras estranho e até mágico e eu também, chegando a compará-lo ao Bobo, dos livros de Robin Hobb, por causa das suas respostas e enigmas. 



- Um dia serás livre. Nessa altura encontrar-te-ei e seremos tão felizes quanto agora. (Daniel)

- Como poderá tal ser verdade?
(Constance/Sophia)

- Poderá demorar muito tempo, mais do que possas imaginar, mas um dia seremos felizes. (Daniel)

- Prometes? (Constance/Sophia)

- Prometo. (Daniel)
pág. 101



Com um desenlace vertiginoso, que culmina num final inesperado, este foi um dos romances mais belos que eu li até hoje. Todas as personagens são fantásticas, em especial Daniel, Lucy e Ben. Também gostei de Joaquim, não pela sua personagem, que tanto terror causou, mas como catalisador dos acontecimentos finais. Foi necessário à história em todo o seu percurso, a meu ver. Não estava à espera do final que a história teve, não é um final esclarecedor de tudo, muito fica em aberto. No entanto, parte da magia da história está também aí, na incógnita do final, que deixa o leitor a pensar no que de facto aconteceu às personagens, principalmente a Daniel.

Este é um livro com uma história bonita, por vezes cruel, mas também fantástica e delicada e misteriosa, onde o passado anda de mãos dadas com o presente e com o futuro. Não temos viajantes do tempo, mas temos o Tempo e a Vida e o Amor, factores tão presentes e imprescindíveis à existência da Humanidade e de todo o Universo. Não é um romance cor de rosa, nem "amoroso". Não esperem por isso com este livro. Este é um livro que não é leve, nem fútil. Este livro faz-nos pensar. Faz-nos pensar na realidade e na hipótese; faz-nos pensar na Vida e no que há para além do que vemos no momento, tanto para trás como para a frente, como também para os lados. Faz-nos ter uma perspectiva mais alargada da nossa existência, levando-nos a pensar "o que teria eu sido? o que teria acontecido?". É um livro pequeno, lê-se muito bem, não é confuso. A autora fez um trabalho muito bom ao tornar claro, através dos pensamentos das personagens e das suas ações, as relações entre vida/morte, entre o amor e a existência através do Tempo, as almas e as suas marcas nos corpos: a história do individuo enquanto alma "eterna".

Mas com isto não pensei que há no livro alguma espécie de moral ou de idealismo. Como já referi, é um romance visto desta perspectiva. E é de facto um excelente romance.

Um dos melhores romances que já li. Soberbo e encantador. Recomendo sem reservas. =)



- Quero ir para onde tu vais. Não tenho medo de morrer. Quero que permaneçamos juntos e regressemos juntos. Tu próprio disseste que as almas aderem umas às outras. Quero ficar contigo.

- Voltarás a apaixonar-te. E talvez tenhas filhos e envelheças e morras quando chegar a tua altura. E talvez olhes para trás e te recordes de mim uma vez ou outra. E, quando regressares, estarei à tua espera. Encontrar-te-ei.
pág. 187

- Alguma vez pensaste que não estávamos destinados a ficar juntos?

O rosto dela espelhava seriedade, mas ele não conseguiu conter um sorriso.

- Não. O nosso destino é ficarmos juntos. estamos é destinados a querê-lo com todas as nossas forças.
pág. 317/8 

Sob a água, debaixo da luz mosqueada do Sol, ela virou o rosto para trás para olhar para ele. Não era um sorriso, mas algo semelhante a uma sorriso. Não era uma expressão de medo. Era uma expressão de fé, mais do que qualquer outra coisa. Tinha fé nele e nas coisas que ele lhe prometera. Confiava nele.
Aquilo era ser amado.
pág.324

NOTA (0 a 10): 10

8 comentários:

  1. Olá Maria,

    Gostei muito de sua resenha, e me fez ficar com muita vontede de ler esse livro, vou ver se aqui no Brasil tem. Parabéns pela resenha e desenhos! :D

    Abraços e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Amanda,

      obrigada. Este livro é muito bom. Não é apenas um romance, mas algo mais profundo. Vale bem a pena ler com coração. Obrigada =D

      Abraços e boas leituras também!

      Eliminar
  2. Olá Maria,

    Bem foi um prazer ler o teu comentário e pelo que percebo está muito completo, enredo interessante, personagens cativantes e uma escrita "limpinha".

    Alem de romance é um livro que nos faz refletir, é bom quando isso acontece e nos coloca a pensar, fiquei muito curioso sem duvida :)

    Parabens pelo texto e pelos desenhos, reflexo que gostaste do livro :D

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      obrigada. É sempre bom fazer os comentários, mas quando são livros assim, tão especiais, dá ainda mais prazer. Poderá ser um dos melhores do ano, se bem que melhor que o Dragões do Assassino não.

      Também é bom, é como dizes. =)

      Obrigada, mais uma vez! Fiz vários, estes são os que gostei mais =)

      Bjs e boas leituras!

      Eliminar
  3. Olá Maria. :D

    Já tinha visto este livro à venda, mas confesso que não me tinha chamado muito à atenção, pelo que não sabia bem do que tratava. Depois de ler a tua opinião, tenho de admitir que fiquei muito curiosa, gostei da particularidade de Daniel poder viver várias vidas recordando-se das vivências anteriores; gostei também da forma como descreves do mau da fita, pareceu-me daquele género de personagens que nos marcam e fiquei muito curiosa com a referência a uma personagem semelhante ao Bobo da nossa querida Hobb. :)

    Fiquei após a tua opinião convencida a ler a obra e tenho a certeza que irei gostar, mais não seja por ser mais do que uma simples história de amor, original e com personagens cativantes. Obrigada pela recomendação. :D

    Beijinhos e boas leituras*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rita =D

      foi uma sorte ter encontrado este livro num a listopia do Goodreads, se não nunca o teria achado! Nunca antes o tinha visto à venda nem nada. E fiquei espantada com o preço, quando fui encomendar à Bertrand. Custou 8,90. Visualmente, o livro é muito bonito, mas com a sinopse que tem não sei se apostaria na sua compra sem saber muito mais. No entanto, também não sabia muito mais e arrisquei, por causa das viagens temporais, que acabam por não o ser. É mesmo uma delicia e têm um final misterioso!
      É bastante diferente de tudo o que já li. O romance entre Daniel e Sophia/Constance/Lucy é maravilhoso. E não é só romance, como também mistério e uma busca pelo passado das personagens que me cativa sempre.
      O mau é um mau requintado! É discreto mas bastante macabro.
      Sim, parece o Bobo, sempre com mistérios =P

      Fico feliz por pensares em ler a obra, acho que vais gostar muito. Vale bem a pena e lê-se muito bem, com uma escrita simples e muito bela. Ora essa, é sempre um prazer recomendar estas maravilhas! =)

      Beijinhos e boas leituras ^^

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Olá,

      Penso que não tem. Pelo menos até agora não. O final é muito misterioso, não é?

      Eliminar